top of page

O papel da escola na saúde mental dos adolescentes

Quem aqui já foi adolescente, sabe como a instabilidade emocional característica da idade pode atrapalhar a execução das tarefas diárias e abalar a autoestima! As mudanças físicas provocadas pelos hormônios e pelos novos arranjos cerebrais acabam impactando a imagem que os jovens têm de si e do mundo, comprometendo sua saúde mental.


Segundo pesquisas, 30% dos adolescentes no Brasil sofrem de transtornos mentais leves, como dificuldade para se concentrar, insônia, tristeza e indisposição. Quando não observados e tratados a tempo, os transtornos podem evoluir para casos mais graves, como depressão, ansiedade e uso de drogas.


E você sabe como a escola pode contribuir para amenizar o agravamento desse quadro?


1. Promovendo a discussão entre os adolescentes e articulando ações voltadas para prevenção dos quadros ligados à transtornos mentais comuns na adolescência


2. Capacitando professores em saúde mental na adolescência, para que saibam reconhecer os sintomas característicos dos diferentes distúrbios de comportamento e identifiquem alunos que estejam potencialmente enfrentando uma situação de risco


3. Abordando os temas em sala de aula; por meio de projetos que foquem nas habilidades intelectuais, emocionais e sociais dos jovens; com o objetivo de abrir espaço para que os adolescentes possam entender o que estão sentindo e pedir ajuda


4. Garantindo um ambiente escolar saudável e respeitoso, isento de práticas de bullying, preconceito e situações de conflito, que podem abalar a saúde mental dos estudantes


5. Observando mudanças de comportamento dos estudantes e de sinais que podem indicar transtornos mentais, como irritabilidade, tristeza, tédio, agressividade, falta de concentração e queda no desempenho escolar. Apesar da função do professor não ser diagnosticar e tratar os distúrbios, é importante que o educador esteja apto a relatar suas percepções e orientar a família para o encaminhamento do jovem para profissionais especializados




Imagem: freepik

Comentarios

Obtuvo 0 de 5 estrellas.
Aún no hay calificaciones

Agrega una calificación
bottom of page