top of page

Brincar tem prazo de validade?

Por Colégio Itatiaia


Especialistas em educação, professores, pediatras, neurocientistas e psicólogos são unânimes quanto a importância do brincar para o desenvolvimento humano.

Através do brincar a criança testa suas hipóteses, elabora o raciocínio lógico e emocional, seus conhecimentos, expressa sua compreensão de mundo, socializa, expande experiências, amplia sua capacidade imaginativa e criativa, entre diversas outras coisas que envolve a ação do brincar.


São inúmeras e infinitas as possibilidades das brincadeiras, as crianças inventam e reinventam esse território constantemente, mas até quando pode-se deixar o brincar ocupar espaço na vida de nossos filhos/alunos? Essa questão poderia ser simplesmente respondida com um “Para Sempre”, e trazer a conclusão de que não existe prazo de validade, porém, é preciso aprofundamento do porquê essa questão é levantada conforme as crianças vão amadurecendo.


Existe um equívoco comum quando as crianças ficam “mais velhas” (talvez ao entrar no ensino fundamental), imaginamos que precisam ter mais responsabilidades, precisam de mais deveres, se dedicar mais aos estudos, em resumo, que precisam de seriedade. Esse errôneo pensamento, implica em duas questões, a primeira sobre a injustiça com a criança que brinca, pois, ao brincar também se explora a responsabilidade e traduz dedicação. Na prática de crianças brincando, facilmente há diálogos como:

- Você vai no mercado comprar o macarrão?

- Deixa o meu carro passar para não bater!

- Você já brincou agora é minha vez!

-Tia, ele pegou sem me pedir!

-Vamos ter que dar mais comida para a bebê.


São falas comuns e constantes durante as brincadeiras, que revelam sobre empenho, responsabilidade e socialização.

A segunda questão é, por que achamos que o brincar anula qualquer outra ação necessária para o desenvolvimento? Porque pensamos que “seriedade” é incompatível com “brincar”?

Se tem uma coisa que é séria e necessária, para um desenvolvimento saudável, é o brincar, ação que está contemplada em todos os documentos que regem a educação, trazendo essa ação como uma prática fundamental, na BNCC (Base Nacional Comum Curricular) documento mais recente, o brincar aparece como direito da criança.

Os bebês e as crianças vão amadurecendo e todas as habilidades e competências que precisamos ao longo da vida, devem ser exploradas desde o nascimento. Quando consideramos o bebê como sujeito protagonista, vamos auxiliando todos os processos de cuidado com um diálogo respeitoso, dando autonomia evoluindo as responsabilidades e deveres, de acordo com a capacidade de cada faixa etária. Não existe essa chave do, “Agora você não é mais criança e precisa arrumar a sua cama!”, tudo é uma questão de construção evolutiva, onde vamos ampliando os repertórios de vivências significativas.

Com esses levantamentos e o entendimento de que o brincar só traz benéficos para toda e qualquer idade, concluo dizendo: Sempre deixem brincar e nunca deixem o brincar.


O brincar como aliado para toda vida


É comum falarmos sobre o brincar entre as crianças de educação infantil, mas conforme elas vão amadurecendo, muitas vezes os ricos contextos brincantes, vão perdendo espaço na vida das crianças.


Constantemente, precisamos agir para não cair na cilada do pensamento: “brincar é menos importante do que aprender”, visto que, essas ações estão entrelaçadas.

As aprendizagens durante as brincadeiras são infinitas, exigindo das crianças conhecimento de mundo, socialização, sentimento de confiança, interação com os espaços, coordenação, entre outras demandas.


Ao ingressar no ensino fundamental, todas as habilidades e competências promovidas pela ação do brincar continuam sendo necessárias e muitas vezes, os conteúdos que necessitam ser explorados, cabem nessa potencialidade da brincadeira, trazendo a ludicidade necessária, para explorarmos os saberes com os alunos de maneira prazerosa.

Os principais documentos que regem a educação no Brasil, contemplam o brincar como ação fundamental para o desenvolvimento de qualidade, na BNCC (Base Nacional Comum Curricular), o brincar aparece como direito, e esse direito deve ser algo totalmente inegociável dentro de todas as etapas educacionais.


Brincar nos humaniza, encanta e diverte, e para tudo isso não há prazo de validade.


Artigo: Colégio Itatiaia



Saiba mais sobre a escola Peak School by Colégio Itatiaia


Escola de educação integral bilíngue do Ensino Fundamental do Colégio Itatiaia, localizada no bairro Bela Vista em São Paulo.


Uma escola acolhedora e flexível que motiva suas crianças respeitando cada um em sua individualidade e os incentivando a serem protagonistas de seu próprio aprendizado. São 3400 m² de espaço com extensa área verde no centro da cidade, à 3 quadras da Avenida Paulista.


Para ver informações completas sobre a Peak School by Colégio Itatiaia, acesse a página do colégio no buscador de escolas particulares da SchoolAdvisor. Clique aqui.

Commenti

Valutazione 0 stelle su 5.
Non ci sono ancora valutazioni

Aggiungi una valutazione
bottom of page