top of page

Os efeitos imprevisíveis da Superproteção Parental

por Ms. Ackel, Primary Counsellor na St Nicholas Alphaville


Como pais, nós sempre queremos o melhor para nossos filhos. Nos preocupamos com a segurança e o bem-estar deles e queremos que eles sejam protegidos das duras realidades do mundo. Entretanto, alguns pais sentem que é sua a responsabilidade de proteger seus filhos de todos os perigos, desafios, dificuldades e decepções que a vida coloca às vezes em seu caminho. Com tal postura, alguns de nós podem exceder limites e tornar-se pais superprotetores, monitorando constantemente as crianças e assumindo o total controle de suas vidas.


É perfeitamente normal que pais preocupem-se com seus filhos, mas devemos ser cuidadosos e perceber que existe uma linha tênue que separa proteção de superproteção. Não há prejuízo algum em permitir que nossos filhos aprendam com seus erros e encarem os desafios que a vida coloca em seus caminhos.


Embora muito bem-intencionados, pais que tentam proteger excessivamente seus filhos podem não estar ajudando-os a longo prazo. Superproteção, como a palavra sugere, é proteção exagerada. O comportamento superprotetor aparece quando acreditamos que apenas os pais sabem o que é melhor para os filhos, em todos os momentos e circunstâncias da vida, e não consideramos os sentimentos, pensamentos e preferências da criança. Infelizmente, essa abordagem passa para a criança a ideia de que ela não é capaz de assumir responsabilidade e fazer escolhas, afetando negativamente sua autoestima e autoconfiança, levando à insegurança e ao medo de cometer erros ou arriscar-se.


Vamos considerar a frustração, por exemplo. A tendência imediata dos pais quando uma criança se frustra e se chateia é intervir e fazer o que for necessário para deixar a criança feliz. Porém, a frustração é inevitável e não é necessariamente negativa. Quando lidamos com a frustração de forma construtiva, ela pode ajudar as crianças a aprender a vencer obstáculos e suportar decepções. Tal abordagem ajuda a criança a desenvolver resiliência e autoconfiança, duas competências valiosas e necessárias.


Muitos estudos têm comprovado que a superproteção é mais prejudicial do que benéfica para uma criança, causando efeitos desfavoráveis em seu desenvolvimento cognitivo e socioemocional. Esses efeitos adversos de um estilo parental mais controlador continuam a afetar a adolescência e até a vida adulta, de acordo com um estudo publicado no Journal of Experimental Psychopathology.


Portanto, embora seja vital que os pais cuidem da segurança de seus filhos, é crucial que eles também os ajudem a confiar em si mesmos e a tornarem-se independentes conforme eles crescem e amadurecem. É essencial encontrar um equilíbrio entre oferecer orientação e apoio e gradualmente proporcionar às crianças a oportunidade de tomar suas próprias decisões, enfrentar consequências e exercer autonomia. É o melhor que os pais podem fazer para ajudar seus filhos a tornarem-se pessoas seguras e resilientes.




SAIBA MAIS SOBRE A ST. NICHOLAS SCHOOL ALPHAVILLE


Fundada em 1980, a St. Nicholas é uma escola internacional para alunos de 18 meses a 18 anos. Como uma IB World School, está autorizada pela International Baccalaureate Organization (IBO) a oferecer o Programa de Anos Primários e o Programa de Diploma, além do Programa de Primeiros Anos e de Meio Anos.


Para ver informações completas sobre a St. Nicholas School Alphaville, acesse o comparador de escolas particulares da SchoolAdvisor. Clique aqui.



Comentarios

Obtuvo 0 de 5 estrellas.
Aún no hay calificaciones

Agrega una calificación
bottom of page