top of page

Como as emoções na infância impactam na criação de bons hábitos alimentares na vida adulta

Atualizado: 28 de ago. de 2023

Por Liv Up


É nas primeiras fases da vida que diversos hábitos ou comportamentos são desenvolvidos, inclusive no que diz respeito à alimentação. Ou seja, os adultos saudáveis do futuro são as crianças com boas experiências e educação alimentar hoje. Quer entender mais como as emoções na infância impactam no desenvolvimento da relação com a comida? Te explicamos direitinho a seguir!


Emoções x hábitos alimentares


Atualmente, sabe-se muito sobre a influência na saúde da criança desde a alimentação da gestante, ao período de amamentação e introdução alimentar. Mas e em relação ao emocional, que reflexos isso pode ter na vida adulta?

O fato é que, além da carga genética, o conjunto de experiências e aprendizados aos quais a criança é exposta pode influenciar o comportamento que será levado para a vida toda. Em outras palavras, o padrão alimentar é formado desde cedo.

Quando se é exposto a uma grande variedade de alimentos naturais, muito provavelmente a aceitação desses itens acontece de forma espontânea. Já quem passa por uma experiência ruim com algum alimento, pode desenvolver uma forte aversão. Por isso é tão importante ter paciência e cuidado ao introduzir os alimentos.


Tomadas de decisões alimentares


Tendemos a querer repetir experiências que deram certo ou às quais já estamos acostumados. Sendo assim, crianças com pouco repertório alimentar tendem a limitar-se somente às mesmas comidas.


Sentimento e percepções


Experiências traumáticas, como ser forçado a comer algo que não se gosta, podem gerar algum tipo de resistência a experimentar coisas novas. Por outro lado, relacionar comida saudável a momentos positivos, como um piquenique em família, pode criar um reforço positivo.


Comer emocional


Muita gente acaba recorrendo à comida como uma forma de aliviar o estresse, lidar com frustrações e etc. Comer um chocolate quando se está triste não é um problema, mas sim quando esse comportamento acaba se tornando um padrão. Assim, ao invés de se alimentar quando está com fome, a pessoa pode usar a comida como válvula de escape e até mesmo desenvolver algum tipo de transtorno alimentar.


Adolescente comendo lanche
Imagem: WIX

Por que os acontecimentos da infância impactam na vida adulta?


A interferência da infância na vida adulta é imensa, seja do ponto de vista do desenvolvimento físico ou psicológico. Aliás, é nesse momento que há a construção das conexões cerebrais, porque durante os primeiros anos o cérebro ainda está em formação. Em outras palavras, dependendo da forma como as conexões forem trabalhadas, comportamentos e padrões serão criados.


É justamente nesse período em que as crianças constroem conceitos básicos, normalizam padrões de comportamentos e desenvolvem o aprendizado emocional. Ou seja, se os pequenos aprendem desde cedo a ter uma relação bem saudável com a comida, muito provavelmente esse comportamento será herdado pra vida toda.


Quer saber mais sobre alimentação saudável infantil? No blog da Liv Up, tem um montão de conteúdo bacana te esperando, sem falar nas opções práticas do menu.

Comentários

Avaliado com 0 de 5 estrelas.
Ainda sem avaliações

Adicione uma avaliação
bottom of page